Anel anticoncepcional: uma alternativa para evitar gravidez que substitui completamente a pílula | Diário de Biologia

Anel anticoncepcional: uma alternativa para evitar gravidez que substitui completamente a pílula

11:27
Karlla Patrícia – Bióloga

  • 717
  • 3
  • Total: 720

O anel anticoncepcional ou anel vaginal é um método contraceptivo que tem a forma de um anel de silicone, flexível e transparente, não poroso e não absorvente. Mede cerca de 5 centímetros de diâmetro e impede a ovulação e a concepção através da liberação de hormônios.

A ação e os efeitos são bem parecidos com os da pílula. O anel deve ser colocado na vagina, no formato de um 8, na parte superior, uma região bastante elástica e não sensível ao toque, no 5º dia da menstruação, permanecendo nessa posição durante três semanas (21 dias). Após a retirada do anel, deve-se fazer uma pausa de 7 dias e um novo anel deve ser utilizado.

Como funciona?

Ele age como qualquer outro método. Depois de colocado na vagina, o anel libera os hormônios (etonogestrel e etinilestradiol), que são absorvidos pela mucosa da parede vaginal, entrando em contato com a corrente sanguínea inibindo a produção do FSH e LH. O anel também aumenta o muco dessa região, dificultando a entrada do espermatozoide.

A fertilidade da mulher volta assim que o uso é suspenso. Quando usado corretamente, a prevenção é de 99%. Sua eficácia é de 0,4 a 1,2% em cada 100 mulheres por ano. É tão eficaz quanto as pílulas combinadas mais modernas e com doses mais baixas de hormônios. O anel não interfere na relação sexual, e a maioria das usuárias e seus parceiros não sentem nenhum incomodo durante a relação sexual.

Vantagens

Por ser um método de fácil aplicação com menor risco de esquecimento e pouco efeito colateral, o número de adesões está aumentando. Depois de experimentar o anel vaginal poucas pacientes mudam de contraceptivo. Esse método garante uma melhora no ciclo menstrual e reduz a metabolização pelo fígado. Além disso, só precisa ser aplicado uma vez ao mês. A própria mulher deve introduzi-lo no canal genital, empurrando com o dedo até não o sentir mais. Na primeira vez que usa, os primeiros sete dias deve se utilizar preservativos, mas nos meses seguintes, com uso regular, não há necessidade do uso de preservativos para evitar gravidez.

Desvantagens

A principal desvantagem do anel anticoncepcional é que ele não previne a mulher de infecções por micro-organismos ou doenças sexualmente transmissíveis, e portanto, ainda exige o uso de preservativo para tal.

Fontes: tuasaude/bolsademulher/direitodeescolha/gineco Imagens: meuanticoncepcional/cesamm/webmd

Categorias Curiosidades,Mulher,Sua saúde

  • 717
  • 3
  • Total: 720
Anúncios